The open mind school

Não deixe os clientes em fúria com seu atendimento!

Assista ao vídeo:

Apesar de tragicômico e exagerado, esse vídeo nos faz pensar sobre a importância do atendimento ao cliente.

Uma cliente mal atendido, além de não retornar ao seu restaurante, padaria, café, bar, pizzaria ou churrascaria, fará um boca-a-boca negativo de seu negócio: dirá a amigos, familiares e conhecidos para nunca visitar seu estabelecimento. Se um único cliente já causa problemas, imagine o prejuízo que dezenas ou centenas de pessoas insatisfeitas com seu atendimento podem trazer ao seu negócio.

Como anda o atendimento em seu restaurante? Você deseja melhorar o atendimento de suas equipes de garçons, baristas, cozinheiros, caixas e manobristas? Quais são as melhores práticas de atendimento para a fidelização de clientes?

O péssimo atendimento comprovado por pesquisa

Quem nunca foi maltratado ou recebeu um péssimo atendimento quando fez uma refeição fora de casa? Muita gente passa por esta situação diariamente em nosso país. Uma pesquisa realizada com mais de 5 mil pessoas em 143 cidades brasileiras apontou este problema. Realizado pelo Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC) e divulgado em setembro pela revista Exame, o estudo mostrou que os estabelecimentos do setor de alimentação fora de casa estão abaixo da média de atendimento das demais empresas. E olha que a média brasileira é muito baixa. A única empresa do setor que foi bem na pesquisa foi o Outback, ficando em segundo lugar na classificação geral, atrás da Natura (primeira colocada) e à frente de empresas como Coca-Cola (terceira), Apple (quarta), O Boticário (quinta) e Netflix (sexta colocada).

Para ajudar os proprietários e líderes de equipes destas empresas do setor de alimentação fora de casa, a The Open Mind School apresenta o curso A arte de fazer o cliente voltar: as melhores práticas para a excelência do atendimento em padarias, restaurantes em geral, bares, cafés, pizzarias e churrascarias. O treinamento é dirigido aos proprietários, gerentes, supervisores, maîtres e chefes de restaurantes, bares, padarias, cafés, pizzarias e churrascarias que não estão felizes com o atendimento atual de sua equipe e/ou que desejam elevar o nível de satisfação dos seus clientes.

Minuto com Editor – Episódio 1: Onde escrevo meu livro?

Minuto com Editor: uma série de vídeos voltada a futuros escritores de livros e também àqueles que já são autores. Falaremos de literatura, livros, editoras e outros temas bastante interessantes do universo editorial.

Se você quiser bater um papo mais detalhado sobre o tema desse vídeo e outros do mundo editorial ou desejar conversar sobre o seu projeto de livro, conheça o curso ”Como escrever seu livro e tê-lo publicado por uma editora renomada”, ministrado pelo nosso facilitador Eduardo Villela. Informações das próximas turmas:

turma de outubro de 2015 – 20, 21 e 22/10 – programa e inscrições em https://goo.gl/ne3Gqa

turma de novembro de 2015 – 17, 18 e 19/11 – programa e inscrições em https://goo.gl/YdrDYp

Duas dicas preciosas de redação para seu livro

writing-computer                                                                                                                                                                                                                                                                     *por Eduardo Villela

Hoje, compartilho com você, escritor ou futuro autor, duas dicas importantes ao redigir os textos de seu livro:

  • Busque usar orações curtas para facilitar o entendimento de seu leitor. Orações longas com vários verbos, substantivos, adjetivos e advérbios podem dificultar a compreensão e requerem precisão de uso e conhecimento substancial de pontuação.

 

  • Ao longo de todo livro, certifique-se que há ligação do parágrafo anterior com o próximo, assim como de um capítulo com o outro. Uma obra deve apresentar um ordenamento lógico e evolutivo, tendo começo, meio e fim, ou seja, à medida que lê, o leitor constrói, “tijolinho a tijolinho”, o conhecimento sobre o tema abordado. Por isso, coesão textual também é fundamental para compreensão do leitor.

Se você gostou deste texto e deseja escrever um livro e publicá-lo por uma boa editora, bem como saber mais sobre o mercado editorial brasileiro, conheça o curso Como escrever seu livro e tê-lo publicado por uma editora renomada.

*Eduardo Villela é facilitador e cofundador da The Open Mind School, Publisher e sócio da Editora Évora. Possui mais de 10 anos de experiência no mercado editorial brasileiro e já trabalhou diretamente na publicação de mais de 500 livros de diferentes assuntos.

Escritor, quem é o público-alvo de seu livro?

Alvo_Escola

por *Eduardo Villela

Você, autor, não escreve o livro para você, mas sim para um público-alvo definido que o lerá, porque possui uma ou mais necessidades, conscientes ou não, para satisfazer.

Especifique e busque compreender profundamente seu público-alvo. Responda às perguntas abaixo :

  • A quem se destina o seu livro? Quais as características de seu público?
  • Como ele se comporta? O que se passa na cabeça dele?
  • Por que ele precisará de seu livro? Quais benefícios seu livro agregará a ele?
  • Quais tendências ou mudanças o seu público está vivendo?

Se você gostou deste texto e deseja escrever um livro e publicá-lo por uma boa editora, assim como saber mais sobre o mercado editorial brasileiro, conheça o curso Como escrever seu livro e tê-lo publicado por uma editora renomada.

*Eduardo Villela é facilitador e cofundador da The Open Mind School, Publisher e sócio da Editora Évora. Possui mais de 10 anos de experiência no mercado editorial brasileiro e já trabalhou diretamente na publicação de mais de 500 livros de diferentes assuntos.

O livro impresso será substituído pelo e-book?

ebook

por Eduardo Villela*

A realidade atual é que o leitor consome conteúdo nas mídias impressa, áudio e digital por meio dos dispositivos livro, revista, notebook, tablet, smartphone e e-reader. A tendência é que haja uma complementaridade entre as mídias e não uma substituição de uma por outra.

Por exemplo, há ótimas editoras no país que oferecem ao leitor o livro impresso integrado a um site com uma variedade de conteúdos extras (vídeos, planilhas, simuladores, jogos, textos complementares, cases etc.), ou seja, trazem ao leitor um projeto de conhecimento/entretenimento no qual duas mídias estão integradas em plena harmonia.

Além disso, é crescente o número de editoras que oferecem a versão digital do próprio livro. O e-book é um novo mercado para as editoras. O número de editoras que disponibilizam a versão digital de seu catálogo é crescente.

O livro digital e o livro impresso conviverão por muito tempo e a tendência é que o consumo de um impulsione a venda do outro. Aliás, não acredito que o livro impresso desapareça.

O que poderá acontecer, após vários anos ou mesmo décadas, é a venda do livro digital superar a do impresso em receita. Levará um bom tempo para isso acontecer por algumas razões:

  • O livro impresso apresenta um formato universal cuja experiência de leitura é agradável e funcional – em qualquer lugar do mundo, o livro impresso é igual, você pode dobrar as páginas, fazer anotações, guardá-lo em sua mochila/bolsa e carregá-lo com facilidade e segurança;
  • Não temos ainda um formato universal e uma experiência de consumo agradável para o livro digital. O conteúdo digital em texto ainda é estático e pouco interativo com outros formatos em áudio e vídeo;
  • Com o crescimento da expectativa de vida, temos várias gerações vivas que interagem com o conteúdo de diferentes formas. Há gerações que preferem o livro impresso pelo seu aspecto tangível;
  • O preço dos e-readers, tablets e smartphones é ainda pouco acessível aos brasileiros, a tecnologia de luminosidade para leitura nesses dispositivos precisa melhorar e a infraestrutura de banda larga no país é deficiente, com um acesso à web lento e caro.

Acredito que em alguns anos o livro digital será completamente diferente do de hoje. Ele proporcionará ao leitor uma experiência muito interessante de interação com o conteúdo em vários formatos (texto, áudio, vídeo, animações) e em tempo real.

Além disso, o leitor assumirá o papel de “prosumer”, sendo ao mesmo tempo um coprodutor e consumidor do conteúdo. Portanto, para as editoras, o livro digital é um novo mercado que ajudará a fortalecer o hábito de leitura no país.

Se você gostou deste artigo e deseja conhecer mais sobre o mercado editorial, como escrever um livro e publicá-lo por uma boa editora, conheça o curso Como escrever seu livro e tê-lo publicado por uma editora renomada.

*Eduardo Villela é facilitador e cofundador da The Open Mind School, Publisher e sócio da Editora Évora. Possui mais de 10 anos de experiência no mercado editorial brasileiro e já trabalhou diretamente na publicação de mais de 500 livros de diferentes assuntos.

Autopublicação ou lançar seu livro por uma editora?

publishing

por Eduardo Villela*

O que uma boa editora agrega ao autor? Expertise em estruturação, adequação e posicionamento do conteúdo da obra de acordo com as necessidades do público-alvo a quem ele se destina; know-how em marketing e comunicação do livro (marketing digital, assessoria de imprensa, merchandising nas livrarias e anúncios em revistas e almanaques das livrarias); e distribuição do livro aos diversos canais de vendas (livrarias, escolas, universidades, empresas, eventos, feiras literárias e e-commerces).

O autor que publicou seu livro de forma independente, normalmente conhece o assunto de sua obra, mas poucos autores conhecem em profundidade seus públicos-alvo e suas necessidades. E um número ainda menor deles sabe como promover e distribuir seu livro no mercado.

Em minha editora, já lancei obras de autores que, primeiramente, publicaram seus livros em formatos impresso e digital por conta própria. Esses autores tinham muitas dificuldades para promovê-los e distribuí-los não só nas livrarias como também em outros canais. Nós somos sempre procurados por esse perfil de autor que deseja relançar sua obra conosco.

Os papéis de autores e editoras são complementares. É uma relação “ganha-ganha” na qual o desejo comum a ambos os lados é que o livro seja lido pelo maior número possível de pessoas.

Se você gostou deste artigo e deseja escrever um livro e publicá-lo por uma boa editora, conheça o curso Como escrever seu livro e tê-lo publicado por uma editora renomada.

*Eduardo Villela é facilitador e cofundador da The Open Mind School, Publisher e sócio da Editora Évora. Possui mais de 10 anos de experiência no mercado editorial brasileiro e já trabalhou diretamente na publicação de mais de 500 livros de diferentes assuntos.